João Félix justifica festejos no Dragão e explica o que mudou com Bruno Lage no Benfica

João Félix concedeu uma longa entrevista ao jornal espanhol ‘Marca’, onde fala da sua época no Benfica, do futuro e da sua forma de jogar.

O jovem de 19 anos ganhou protagonismo com os golos nos dérbis e clássicos. Mas foi o tento ao FC Porto que mais marcou os adeptos, por ter sido feito contra a equipa onde fez parte da sua formação.

“É difícil explicar o que senti. Procurava aquele momento, foi especial para para mim e para os meus pais. Mas não foi o golo mais especial até agora. Foi importante porque era um jogo importante, mas houve e haverá outros golos importantes”, disse o jogador, antes de explicar os festejos com o deslizar na relva.

“Gosto do Mbappé como jogador e aprecio esta celebração, que ele faz. Pensei na altura que era o melhor momento para a fazer. Atualmente o Mbappé é o avançado que gosto mais.”

Comparado com Rui Costa e Kaká por Jorge Jesus, João Félix lembra que não viu o português a jogar mas que se identifica com ele: “Não me recordo muito do jogo do Rui Costa, mas já vi vídeos e identifico-me com ele.”

Na mesma entrevista, João Félix explicou o que mudou no Benfica com a entrada de Bruno Lage.

“O Bruno Lage trouxe outra motivação, outras ideias, pois as anteriores não estavam a resultar, por razões que desconhecemos. Estas novas ideias resultaram e estamos contentes”, sublinhou João Félix, antes de abordar a desvantagem de sete pontos que o Benfica chegou a ter para o FC Porto.

“Em alguns momentos da temporada pensámos que era quase impossível, mas aos poucos fomos somando pontos e agora somos líderes. Agora vem o mais difícil: manter o primeiro lugar”, confidenciou, antes de garantir que a prioridade do Benfica é o campeonato.