Dia 2 do Grand Slam de Judo de Ecaterimburgo: ouro para a França, Israel, Rússia e Suécia

O segundo dia do Grand Slam de Ecaterimburgo concluíu com medalhas de ouro para a França, Israel, Rússia e Suécia e com duas novas adições à família de nações galardoadas no Grand Slam: Marrocos e o Tajiquistão.

Teve também lugar hoje a espetacular cerimónia de abertura do torneio de judo, na presença do governador da região de Sverdlovsk, Yevgeny Kuyvashev.

A Mulher do Dia

O dignatário russo foi testemunha da exibição memorável de Daria Davydova, a judoca que colocou a nação anfitriã em primeiro plano. A russa avançou sem dificuldades nos preliminares, e enfrentou na final de -63kg a britânica Lucy Renshall. A sua reação fantástica ao ataque de Renshall com um Ouchi Gari garantiu-lhe a vitória levando os ânimos ao rubro. Daria Davydova tornou-se a primeira campeã russa do torneio e a nossa mulher do dia.

A judoca foi premiada com a sua medalha de ouro pelo embaixador da Federação Internacional de Judo e presidente da Federação Russa de Judo, Vasily Anisimov.

“Sinto-me muito honrada por ganhar a primeira medalha de ouro da Rússia, e sinto-me grata pela presença e pelo apoio do público e convidados. Espero que amanhã mais atletas russos ganhem mais medalhas de ouro,” comentou numa entrevista.

O Homem do Dia

Tommy Macias revelou-se o nosso homem do dia. O judoca sueco a competir em -73kg defrentou numa muito antecipada final o campeão olímpico italiano Fabio Basile, que demonstrou um judo explosivo ao longo do dia. Ambos se mostraram tensos e concentrados mas Macias superou no chão a força e velocidade do italiano, com um clássico golpe de braços seguido dum Kansetsu-Waza, a que o italiano se rendeu.

O sueco foi presenteado com a medalha de ouro pelo Vice-ministro do Desporto da Rússia, Igor Sidorkevich.

“Quando chegámos ao Ne-waza, vi que o Fabio Basile tinha o braço atrás das costas e pensei que talvez fosse a hora de tentar dominá-lo. O meu golpe de braços foi lento mas persisti até ter o controlo absoluto e após 10 segundos ele cedeu,” afirmou o atleta sueco.

O Tajiquistão e Marrocos conquistam pela primeira vez medalhas num Grand Slam

Behzuri Khojazoda conquistou a medalha de bronze em -73kg, a primeira medalha de sempre num Grand Slam para o Tajiquistão. O atleta fez história vencendo o brasileiro Eduardo Barbosa no ponto de ouro com um Waza-ari.

A marroquina Assmaa Niang arrebatou a medalha de bronze em -70kg, vencendo a austríaca Michaela Polleres.

Em competição hoje estiveram também os atletas dos -70kg femininos e -81kg masculinos.

A número um do mundo Marie Eve Gahie lutou na final de -70kg frente à brasileira campeã do Masters de 2017, Maria Portela. A judoca francesa tirou partido dum ataque fracassado da brasileira, garantindo a imobilização Osaekomi e sagrando-se campeã.

A atleta recebeu a medalha de ouro das mãos do vice-presidente da Federação Internacional de Judo, Sergey Soloveychik.

O campeão em -81 kg foi o mágico Sagi Muki, de Israel, que derrotou o nipónico ex-campeão do mundo Takanori Nagase nos segundos finais da luta, empolgante até ao fim.

O Movimento do Dia

O nosso movimento do dia coube ao medalhista de bronze nos júniores Luka Maisuradze, a competir em -81kg. Usando a sua força, o judoca da Geórgia ergueu o holandês Frank De Wit na luta pelo bronze e plantou-o de costas no tatami. O jovem ficou emocionado ao ganhar a sua primeira medalha num Grand Slam.

A Seleção Portuguesa

A portuguesa Bárbara Timo perdeu este sábado no primeiro combate da competição de -70 kg frente à canadiana Kelita Zupancic, por ippon, no ponto de ouro.

No primeiro dia do Grand Slam as portuguesas Telma Monteiro (-57kg) e Joana Ramos (-52kg) terminaram no quinto lugar.

Yahima Ramirez e Rochele Nunes vão fechar a participação de Portugal na prova no domingo, último dia da competição.