Operadores brasileiros participam de conferência em Israel

Celso Passos, Paulo Campos, Renata Cohen e Ellen Lopes

Tel Aviv (Israel) sediou a 25ª edição do Mercado Internacional de Turismo do Mediterrâneo (IMTM, da sigla em inglês), evento que reuniu representantes de mais de 60 países, 160 expositores e mais de 20 mil visitantes do trade local e global entre ontem e hoje (12 e 13 de fevereiro).

Os expositores locais representam produtos e serviços de todos os segmentos atuantes no mercado israelense – de receptivo a turismo outbound, passando por agências de viagens nacionais e regionais. Além disso, a feira abre espaço para estandes de empresas do exterior, incluindo companhias aéreas e fornecedores de tecnologia.

A programação inclui ainda workshops profissionais, seminários e diversas oportunidades de networking. O mercado de dois dias está aberto para profissionais do comércio apenas nas primeiras horas da manhã e aberto ao público em geral durante a tarde. O evento tem apoio da Associação de Hotéis de Israel, El Al Israel Airlines, Associação de Agentes de Viagens de Israel e a Associação de Operadores de Excursões de Israel.

Leia também:
Israel registra recorde de turistas em 2017
Israel bate recorde de visitantes; Brasil é destaque na América Latina

Paralelamente à IMTM, foi realizada a Where Else, conferência que reuniu cerca de cem participantes para apresentar as possibilidades turísticas que o destino tem a oferecer por meio de tours por diferentes cidades. O grupo deste ano incluiu três operadores brasileiros: Celso Passos (Viagens Master), Paulo Campos (Trade Tours) e Ellen Lopes (Belvitur).

“Esse é mais um exemplo do investimento em diversos mercados, inclusive no Brasil, que enviou 62,5 mil visitantes ao país em 2018”, comemorou Renata Cohen, diretora do Ministério do Turismo de Israel no Brasil.

O país recebeu 4,1 milhões de turistas em 2018, 14% a mais que o ano anterior, batendo o recorde pela segunda vez. O mesmo crescimento (14%) foi registrado entre os turistas brasileiros, marcado o terceiro ano consecutivo de alta e, portanto, consolidando o País  como principal emissor da América Latina.