João Sousa procura ser feliz na Argentina

João Sousa regressa hoje ao court em Buenos Aires para disputar os oitavos-de-final de singulares da prova, depois de uma boa vitória na 1ª ronda, face ao argentino Juan Ignacio Londero, campeão do ATP 250 de Córdoba, na semana passada.

O vimaranense de 29 anos, que hoje mede forças com o ex-top 20 ATP Pablo Cuevas (atual 78º), acredita que pode ficar na capital argentina até domingo (final). “Claro que seria bom ficar até ao fim de semana e ganhar o título, mas tenho de pensar passo a passo. Tenho um quadro difícil. Primeiro o Londero, que vinha de título, depois o Cuevas e logo de seguida, se ganhar, o Thiem, que é um dos melhores do Mundo”, admitiu a Record, a partir da Argentina.

Sousa confessou ao nosso jornal que até aos 15 anos achava que seria médico – como o pai –, mas mudou de ideias a tempo de ganhar um lugar na história do desporto português. “Quando era miúdo jogava futebol, ténis, natação. Quando és pequeno gostas de fazer tudo, mas decidi jogar ténis porque é individual e depende só de mim. Se não tivesse jogado ténis, teria jogado futebol. E se não tivesse feito nada disso, era médico”, assegurou.

Sousa falou ainda da recente derrota portuguesa na Davis e assume não ser fã do novo formato. “Não gosto. Não beneficia muito as equipas como a portuguesa. Eu jogo singulares e pares e isso é difícil de fazer no mesmo dia. Tudo se resume a dois dias. Pessoalmente, não gosto, mas quem põe as regras é a ITF e nós temos de nos adaptar”, assumiu.

Continuar a ler