Estreia europeia de Bruno Lage com confiança mas sem euforia

É com a confiança em alta, reforçada pelo resultado histórico obtido na 21.ª jornada perante o Nacional (10-0), que o Benfica aborda a primeira mão dos 16 avos-de-final da Liga Europa. Esta tarde os “encarnados” visitam o Galatasaray (17h55, SP-TV1) e o objectivo assumido pelo treinador Bruno Lage é o de dar continuidade ao bom momento, mostrando a mesma qualidade que a equipa tem patenteado a nível interno. Mesmo com a poupança de alguns elementos – Grimaldo, Pizzi e Jonas não viajaram para a Turquia por opção do técnico – Lage acredita que o plantel lhe dá soluções.

Passaram dois meses desde a conclusão da fase de grupos da Liga dos Campeões, com o Benfica a viver actualmente um estado de espírito bem diferente. Os “encarnados” terminaram no terceiro lugar do Grupo E, tendo sido capazes de vencer apenas o AEK (também obtiveram um empate caseiro diante do Ajax), e no campeonato seguiam no quarto lugar, a quatro pontos do líder FC Porto. Dois meses, mudou o treinador, mudou a classificação, e o Benfica recuperou a alegria em campo, recuperou alguns elementos que estavam colocados de parte, e respira uma confiança renovada.

PÚBLICO -


Aumentar


Este será o décimo jogo de Bruno Lage enquanto treinador do Benfica e a sua estreia nas competições europeias. “Será um marco na minha carreira”, admitiu o técnico, na antevisão da partida frente ao Galatasaray, ressalvando: “Mas o mais importante é dar continuidade ao nosso trabalho”. E pouco há que possa apontar-se nestas cinco semanas e meia que Lage leva no cargo. A equipa soma oito vitórias (incluindo um duplo duelo contra o Sporting, no campeonato e na primeira mão da meia-final da Taça de Portugal) e uma derrota (frente ao FC Porto, na meia-final da Taça da Liga). Marcou 30 golos – um registo inflacionado pelo histórico 10-0 ao Nacional – e sofreu nove.

Os sinais são positivos, mas Lage afasta qualquer euforia que possa instalar-se. “Euforia? Porquê, por termos vencido o último jogo? Estamos numa sequência muito boa, vencemos duas vezes o Sporting. O mais importante é olharmos para o nosso trabalho, a nossa concentração é no nosso jogo, na nossa organização”, destacou.


Com três jogos já disputados desde o início de Fevereiro (e um total de sete jogados em Janeiro), o treinador do Benfica admitiu que não houve muito tempo para abordar a visita ao Galatasaray: “Nunca há muito tempo para treinar, a jogar de três em três dias. Mas o mais importante foi feito: analisámos bem o adversário e passámos tudo o que sabemos do adversário aos jogadores para incorporarmos na nossa estratégia. A perspectiva é que entremos amanhã [hoje] com uma enorme confiança e jogar com a mesma qualidade com que temos jogado em Portugal.”

Neste que será o único confronto dos 16 avos-de-final da Liga Europa entre equipas vindas da Liga dos Campeões, o Benfica terá pela frente o crónico campeão turco. O Galatasaray sagrou-se em 2017-18 campeão pela 21.ª vez, um recorde, mas na presente edição segue em segundo lugar, a seis pontos do líder Basaksehir. Orientada pelo veterano Fatih Terim, de 65 anos, que faz a sua quarta passagem pelo Galatasaray após ter orientado a selecção da Turquia, a equipa é a mais forte da Liga turca a jogar em casa: sete vitórias e quatro empates, com 31 golos marcados e dez sofridos. Fora do seu estádio sente mais dificuldades, com quatro triunfos, dois empates e quatro derrotas (dez golos marcados e 13 sofridos).

“Perante uma grande equipa, um enorme treinador, um estádio fantástico, queremos jogar com a mesma qualidade”, reforçou Bruno Lage, desdramatizando o ambiente apaixonado criado pelos adeptos turcos: “Sei o que nos espera. Temos uma equipa experiente e os grandes jogadores gostam de jogar nestes ambientes.”


Tendo defrontado o FC Porto na fase de grupos da Champions (perdeu ambas as partidas), o treinador do Galatasaray considerou que o Benfica será um adversário mais exigente: “Neste momento o Benfica é melhor do que o FC Porto. Se virmos os últimos jogos do Benfica, tem estado a jogar muito bem”, afirmou Fatih Terim, concluindo: “Vamos ter um jogo difícil, mas, se fizermos o mesmo que fizemos com o FC Porto, podemos ter esperança.”