Economista de Cambridge aparece nua na televisão para protestar contra o Brexit

“O Brexit deixa a Grã-Bretanha nua.” Esta é a mensagem que a economista britânica Victoria Bateman, professora na conceituada Universidade de Cambridge e doutorada na prestigiada Oxford, quis passar na televisão ITV, onde apareceu totalmente despida para contestar a saída do país da União Europeia.

A professora Victoria Bateman, especialista em História Económica e Macroeconomia, despiu-se para assinalar o seu protesto contra o Brexit, durante a participação no programa “Good Morning Britain” (Bom dia Grã-Bretanha) do canal ITV.

Perante uma audiência média de 700 mil telespectadores, a economista de 40 anos quis mostrar o que definiu como as “novas roupas do imperador”, para concluir que a saída da Grã-Bretanha da União Europeia (UE) deixa o país “despido economicamente”.

Para vincar a sua posição, escreveu na pele a frase “Brexit deixa a Grã-Bretanha nua”.

Já no passado dia 14 de Janeiro, tinha promovido uma iniciativa onde pediu ao público para assinar o seu corpo nu, como se se tratasse de uma petição contra o Brexit.

Victoria Bateman está certa de que os “muitos problemas” que afectam a economia britânica neste momento, designadamente a “falta de habitação” e “os salários estagnados”, não são causados pela integração na UE. Ela também diz que o Brexit não vai ajudar a resolver estas lacunas.

Quanto ao protesto sem roupa, ela defende que deve usar o seu corpo “para transmitir uma mensagem importante”. “Porque deveria eu, como mulher, usar o meu corpo apenas para sexo e bebés?”, questiona.

Não, não sou uma exibicionista. Sou uma mulher confortável com o meu corpo, no controlo do meu corpo, que está feliz em usá-lo para transmitir uma mensagem importante sobre o tema mais importante que a Grã-Bretanha enfrenta em toda uma geração”, constata ainda.

Comentando as críticas a esta sua posição, Victoria Bateman lamenta que “não há problema em ficar nua se se estiver em silêncio” e para “sexo”. “Mas usar o corpo para passar uma mensagem política importante”, ou seja, “para algo diferente de sexo/bebés”, já torna a mulher numa “desgraça” e “estúpida comunista”, queixa-se numa publicação no seu perfil do Twitter.

A saída da UE do Reino Unido está prevista para 29 de Março, mas, neste momento, o processo está em “águas de bacalhau”, depois de os deputados britânicos terem rejeitado, por larga maioria, o acordo negociado pela primeira-ministra britânica, Theresa May, com Bruxelas.

Um relatório secreto do Governo britânico, cujo teor foi tornado público em Janeiro de 2018, concluiu que o Brexit pode afundar a economia do Reino Unido. Já especialistas financeiros consideram que um ‘Hard Brexit‘, isto é, a saída sem acordo, pode ter consequências para a economia mundial, e para a Europa em particular, tão trágicas como a falência do banco Lehman Brothers teve em 2008.

Temendo o pior dos cenários, alguns britânicos começaram já a armazenar alimentos, receando que venham a escassear.

SV, ZAP //