Yulen está no fundo de um poço com 110 metros. São estas as três opções para o resgatar

Internacional

As autoridades espanholas estão a avaliar três opções para resgastar Yulen, o menino de dois anos que caiu no domingo à noite num poço em Totalán, Málaga. Em contrarrelógio, a Guardia Civil decidiu experimentar ao mesmo tempo as três técnicas com vista a aumentar as hipóteses de encontrar a criança com vida, avançam os media espanhóis.

Uma das técnicas passa por extrair areia do poço, enquanto outra consiste em abrir um buraco paralelo ao existente, de forma a evitar que a criança possa ser soterrada. A última técnica passa por abrir outro buraco, a partir da mesma boca do poço, explicou ao jornal “El Confidencial” o porta-voz da Guardia Civil, Bernardo Moltó.

Mais de uma centena de operacionais estão envolvidos na operação de resgate apoiados por várias máquinas, da Corporação de Bombeiros, Proteção Civil, Equipa de Resgate na Montanha de Álora e Granada e mergulhadores, uma vez que não se sabe ainda se existe água no fundo do poço debaixo de uma tampa com areia.

Com 110 metros de profundidade e cerca de 30 centímetros de largura, o poço para onde caiu o pequeno Yulen encontra-se numa área montanhosa de difícil acesso, o que dificulta as operações.

Encontrado saco de guloseimas

“Nesta altura, a prioridade é localizar a criança e chegar até ele. Já conseguimos extrair uns 30 cm de areia, mas temos que continuar o trabalho com todo o cuidado possível”, disse ao “El Mundo” a subdelegada do executivo de Málaga, María Gámez.

Foi por volta das 22h locais (21h em Lisboa), que Yulen caiu no poço quando se dirigia com a família para a casa de um familiar que viva na zona. Segundo o relato dos pais, José Roselló e Victoria García só se apercebaram da queda do filho quando o ouviram chorar.

Entretanto, as autoridades, com o auxílio de uma câmara, conseguiram encontrar um saco de guloseimas que a criança trazia consigo na altura da queda, refere o jornal “El País”.

Irmão de Yulen morreu aos 3 anos

Os pais da criança fazem questão de manter-se no terreno, para acompanhar de perto as operações de resgate. Acompanhados por uma equipa de psicólogos, José Roselló e Victoria García esperam que o filho, de dois anos, possa ainda ser encontrado com vida depois de terem perdido outro filho há menos de dois anos.

Foi no dia 23 de abril de 2017, que o irmão mais velho de Yulen, de apenas três anos, caiu inanimado no passeio marítimo de Palo, na sequência de um ataque cardíaco.

Segundo a imprensa espanhola, a família vive numa zona de vivendas num dos mais bairros mais conhecidos de Palo, em Málaga, a escassos minutos da região de Totalán, onde residem amigos e familiares.

Os filhos adoravam passar aí os fins de semana, onde usufruíam de mais liberdade para brincar. No domingo, tinham comido paella durante um almoço de família, onde reinou a boa disposição, e nunca imaginaram que o dia terminaria em tragédia.

  • A 78 metros de profundidade, a câmara do robô usado nas buscas embateu contra um obstáculo de terra, sob o qual as equipas de resgate temem que a criança venha a ser encontrada. O facto de o poço ser muito estreito impede os bombeiros de o atravessarem. As paredes do poço não estão cobertas, pelo que podem ocorrer deslizamentos de terra

A carregar…

a carregar…