Porto: Pavilhão Rosa Mota abre até junho todo renovado

O projeto Super Bock Arena – Pavilhão Rosa Mota vai dar uma nova vida ao antigo pavilhão dos desportos, que se encontrava, num adiantado estado de deterioração, antes das obras que arrancaram no final de 2017. A cidade do Porto vai ter assim um novo espaço dotado das mais modernas tecnologias, para acolher eventos culturais, desportivos e empresariais de grandes dimensões. respeitando a arquitetura exterior e emblemática do edifício. O novo Super Bock Arena – Pavilhão Rosa Mota terá capacidade para receber até oito mil pessoas.

As obras do Super Bock Arena – Pavilhão Rosa Mota, estarão concluídas até ao final do primeiro semestre de 2019, sendo que a apresentação pública está prevista já no próximo mês de fevereiro. O projeto resulta de um investimento de oito milhões de euros por parte do consórcio constituído pelas empresas Lucios e PEV Entertainment – que venceu o concurso público internacional lançado pela Câmara Municipal do Porto, em 2014, segundo um comunicado divulgado esta segunda-feira por este consórcio.

A administração deste consórcio afirma que “com uma localização privilegiada, o Super Bock Arena – Pavilhão Rosa Mota pretende gerar uma nova centralidade na cidade do Porto, servindo de polo agregador de outras infraestruturas próximas e relevantes para a cidade, como os Jardins do Palácio de Cristal, a Casa do Roseiral, a Biblioteca Almeida Garrett ou o Museu Romântico”.

O pavilhão Rosa Mota fica situado nos Jardins do Palácio de Cristal, foi construído no início dos anos 50 do século XX, após demolição do edifício original. Em 1952, ainda com a abóbada incompleta, e já com o nome de Pavilhão dos Desportos, foi o palco do campeonato do mundo de hóquei em patins. Em 1991, em homenagem aos feitos alcançados pela atleta portuense Rosa Mota, alterou o seu nome para pavilhão Rosa Mota.

Em setembro de 2014, a Câmara Municipal do Porto anunciou a abertura de um concurso público internacional para reabilitar e explorar o Pavilhão Rosa Mota. Dois anos depois foi aprovada a entrega da reabilitação e gestão do Pavilhão Rosa Mota ao consórcio “Porto 100% Porto” por um período de 20 anos, mantendo-se os Jardins do Palácio de Cristal e restantes equipamentos sob a alçada do município.