Dulce Félix e Hermano Ferreira são cabeças de cartaz da meia maratona Manuela Machado

Dulce Félix e Hermano Ferreira foram os nomes anunciados hoje pela organização da 21.ª meia maratona Manuela Machado, no dia 20, onde são esperados um total de quatro mil atletas, entre eles 900 oriundos de Espanha.

“Queria evidenciar dois nomes porque são, para mim, os cabeças de cartas. Dulce Félix, considerada a Melhor Atleta da Europa, em dezembro, e Hermano Ferreira que venceu a VI corrida de São Silvestre de Viana do Castelo”, afirmou a ex-atleta Manuela Machado, responsável pela organização da meia maratona.

Natural de Viana do Castelo, Manuela Machado, que falava em conferência de imprensa no salão nobre da Câmara, para apresentação da prova, destacou também a presença, entre os quatro mil atletas inscritos, de 900 espanhóis.

“São mais espanhóis inscritos do que em edições anteriores. Vai ser uma festa do atletismo”, referiu Manuela Machado, considerada uma das atletas de referência da maratona nacional, tendo alcançado um título de campeã mundial (1995) e dois de campeã europeia (1994 e 1998), além de dois sétimos lugares em Jogos Olímpicos (Barcelona1992 e Atlanta1996).

Além da prova principal, decorre em paralelo, uma caminhada solidária, com cerca de cinco quilómetros de extensão. Este ano, o valor das inscrições naquela iniciativa reverterá a favor do Centro Social e Paroquial de Cardielos, terra natal de Manuela Machado.

Ambas as provas têm partida da marginal da cidade de Viana do Castelo, na praça Marques Júnior, ao centro cultural desenhado por Souto Moura, às 10:30, do próximo dia 20.

A Câmara Municipal, conjuntamente com a associação de atletismo local e o clube Cyclones, organiza a meia maratona, que conta com o patrocínio de várias empresas locais e nacionais.

Para o autarca José Maria Costa, a meia maratona “já ganhou maturidade e tem uma organização estabilizada, afirmando-se como uma prova de referência, com forte participação de atletas da Galiza”.

Além de “incentivar à pratica desportiva junto dos jovens”, destacou o “impacto” da prova, “na hotelaria, restauração e comércio da cidade”.

Este ano, segundo o vereador do Desporto, Vítor Lemos, “mantém-se o percurso da edição anterior”, que tem uma extensão de cerca de 21 quilómetros.

Os atletas participantes terão estacionamento gratuito no maior parque subterrâneo da cidade, no Campo da Agonia, propriedade da autarquia, com 1.080 lugares.

Vítor Lemos realçou que “a marginal da cidade e o acesso à autoestrada A28 vão estar cortados ao trânsito” e aconselhou que “as entradas e saídas se façam pelo norte da cidade”.