O orgulho ferido e uma resposta de Bruno Lage ao adversário: "Temos de ser o Rocky"

Tópicos

João Henriques falou no Rocky contra Ivan Drago. O Benfica quis deixar o adversário KO o quanto antes? “Fartei-me de rir com essa declaração, porque sou fã de Rocky. Temos de ser o Rocky para fazermos lutas bonitas dentro do campo. Conquistar jogo a jogo, treino a treino. Com um jogo de qualidade, reconquistamos o público e se reconquistarmos o público, já sabem, o Benfica é muito forte.”

Próximos desafios e continuidade: “O importante é olharmos para os jogadores, conversarmos com eles, para perceberem que tipo de equipa querem ser. Não interessa falar do que aí vem, interessa preparar o jogo seguinte. Os jogadores têm o orgulho ferido, têm de dar resposta no treino e no jogo seguinte”.

Golo madrugador facilitou estratégia? “Na estratégia que montámos – claro que os golos ajudam -,mas o determinante foi a oportunidade de golo logo aos dois minutos. Senti a equipa muito forte logo. O golo é sequência do nosso jogo ofensivo.”

Gestão da equipa e jogos com o V. Guimarães: “Não aproveitei para gerir? Os jogadores podem jogar à vontade de três em três dias. Temos é de ter agora capacidade para mudar rotinas de 4-3-3 para 4-4-2. Tenho conhecimento mais aprofundado dos jogadores e agora tenho de preparar o jogo. Tendo tempo de preparação, temos de arranjar maneira de preparar o jogo seguinte. E isso tem sido o meu dia-a-dia nos últimos três anos.”

Ambiente: “Fantástico. Começou ontem na receção. Não vínhamos à ilha há vários anos. O apoio do público foi fantástico. Pretendemos dar conforto aos jogadores e se o público der conforto, penso que vamos fazer o que fizemos hoje nos primeiros 70 minutos.”