Neymar líder e fim da concentração. Veja 8 artimanhas de Tuchel para conquistar o PSG

Por Isabela Pagliari

Horas antes da decisão diante do Liverpool, pela Liga dos Campeões, Neymar almoça em casa. Conversa com amigos, descansa e pouco depois vai de carro ao duelo no Parque dos Príncipes. A liberdade concedida ao elenco mesmo em dia de jogos é algo raro, e uma das várias artimanhas do treinador, Thomas Tuchel, de 44 anos, para conquistar o Paris Saint-Germain.

Receba notícias esportivas direto no seu WhatsApp

Tuchel aboliu a concentração e tem relação próxima com o elenco. Conversas táticas são feitas abertamente com os atletas e as valiosas folgas são constantes. Teve até “mini-férias” de uma semana em meio à temporada.

Com humildade e sabedoria soube controlar um elenco complicado, recheado de estrelas, e que causou desgaste com seus antecessores Laurent Blanc e Unai Emery.

Leia mais:

– Iminente saída de Matheus Fernandes evidencia sufoco financeiro
– Entenda as penhoras trabalhistas e como elas prejudicam o Fluminense
– Com muitos pedidos, saída de Andrés Rios do Vasco é dada como certa

Para se aperfeiçoar como treinador, o alemão investiu em curso de psicologia no ano em ficou desempregado, entre a demissão no Borussia Dortmund em maio de 2017 e a contratação no PSG.

O Yahoo Brasil listou 8 tópicos que agradam não só jogadores, mas como a diretoria do Paris Saint-Germain.

Fim da concentração

Nos jogos em Paris, nada de hotel, horário para dormir e refeições reguladas de perto. Tuchel descartou o pragmatismo de grande parte dos treinadores e deixou o elenco à vontade.

A regra é na base da confiança. Os jogadores chegam ao estádio em seus carros pouco antes das partidas. No entanto, em muitas ocasiões, há treinamentos leves pela manhã em dias de jogos.

Neymar líder

Tuchel “ganhou” Neymar logo de cara. O discurso inicial foi de que o camisa 10 seria o líder do elenco e o primeiro encontro aconteceu em um Casino, em Londres, em junho, durante a preparação do brasileiro para a Copa do Mundo.

A boa relação faz Neymar ter liberdade para realizar ajustes na função de meia. O papel de armador foi apresentado ao camisa 10 rapidamente e logo surtiu efeito positivo.

“Ele trouxe algo novo sim ao PSG. Desde a primeira conversa eu percebi o quanto era vencedor, mentalidade boa, de melhorar. Um cara que se parece muito comigo, de querer sempre ganhar e melhorar. Ele sabe o que faz, nos demonstra isso no dia a dia e nos jogos. Grande experiência trabalhar com ele”, disse Neymar.

Dieta

O zelo físico de Tuchel com os jogadores em muito passa pela obrigatoriedade de dieta. Vegetariano, o alemão chegou a restringir até carne vermelha do cardápio. Barras de chocolate e guloseimas também precisam ser evitadas por conta do açúcar. Apesar do controle excessivo, a ordem foi comemorada por grande parte do elenco.

“No ônibus pedi uma Coca-Cola e não tinha. Depois, em outra viagem, percebi que não tinha nada mesmo”, disse Verratti em entrevista ao jornal francês Le Parisien.

Mini férias

O elenco do PSG já desfrutou de uma semana de descanso em meio à temporada. Isso aconteceu em outubro durante a pausa no calendário pela data Fifa  como prêmio pelas vitórias contra Estrela Vermelha (6 a 1), Nice (3 a 0) e Lyon (5 a 0).

Já Neymar, por conta dos jogos com a seleção brasileira, teve 4 dias de folgas ao retornar. No período, o brasileiro foi a Portugal acompanhar o amigo Gabriel Medina no Mundial de Surfe.

Paizão

Problemas particulares dos jogadores são tratados como valiosos por Tuchel. Meunier, Rabiot e Areola já foram dispensados para resolver assuntos familiares.

Do elenco, todos têm canal aberto com Tuchel para questões táticas. A forma empolgada de se relacionar foi vista logo nos primeiros dias de clube, com a participação em “trote” nos vestiários após o título da Supercopa da França – goleada por 4 a 0 diante do Monaco

Treinos em novos horários

A temporada começou pesada, com tradicionais treinos em dois períodos, sendo o primeiro logo por volta das 8h. Aos poucos, o ajuste foi realizado e com o frio característico de final de ano em Paris, as atividades costumam acontecer somente de tarde.

Além disso, os jogadores do PSG se animam com a variedade de táticas e exercícios realizados em treinamentos. O alemão dificilmente repete atividades evitando a monotonia e despertando curiosidade.

Detalhista

Ao chegar no PSG, a primeira orientação foi a de pintar o muro do centro de treinamento com as cores azul e vermelho do clube. Já era uma mostra de como se apega em detalhes.

A atitude já logo fascinava dirigentes, ainda mais empolgados com a rápida evolução no idioma francês – Tuchel foi morar na Bélgica para estudar a língua meses antes de assumir o clube.

O técnico estabeleceu mais uma regra no centro de treinamento do PSG: Funcionários e familiares estão proibidos de fumar nas instalações do clube.

Jovens empolgados

Trabalhar com jovens é uma marca de Tuchel. E no PSG já foram oportunidades a Moussa Diaby, Stanley N’Soki, Colin Dagba, Antoine Bernède e Timothy Weah, todos jóias da base. A prática agrada não só aos atletas, mas como os dirigentes por conta da dificuldade de ação no mercado – PSG vive sob ameaça de punição da UEFA por descumprir normas do Fair Play Financeiro -.

“Quando eu escalo um jovem, não estou com a ideia de falar: ‘ok, dê o seu melhor’, e sim ‘olha, esse é o seu papel, você precisa cobrir essa zona, atacar aqui. Se você for capaz disso, não estou nem aí com a sua idade’. Se o jogador tiver 17 ou 35 anos, não me importa. É preciso dar confiança aos jovens. Se a gente não fizer, como eles poderão ganhar experiência?”, destacou Tuchel, em entrevista ao jornal francês L’Èquipe.