Luís Castro: "Temos muita esperança em vencer o Rio Ave"

O treinador do Vitória, Luís Castro, abordou diversos temas na conferência de imprensa que teve lugar esta sexta-feira. Além do jogo com o Rio Ave, abordou o alegado interesse do Reading na sua contratação, a possibilidade do encontro com o Boavista, da Taça de Portugal, disputar-se às 15 horas de um dia da semana, e ainda o facto do treino de quinta-feira ter sido filmado a partir de um prédio contíguo à Academia.

Jogo com o Rio Ave: “Ao longo do campeonato, o Rio Ave tem criado sempre dificuldades aos seus adversários, fundamentalmente no seu momento ofensivo. É uma equipa que tem um padrão instituído, há uma referência que é o Vinicius para depois um apoio frontal com o Galeno ou o Fábio poderem aproveitar a profundidade. É uma equipa que procura circular a bola para atrair num primeiro momento de construção. É uma equipa que está muito bem no campeonato. Já estivemos seis pontos de desvantagem e isso mostra a eficácia que temos vindo a ter ao reduzir a igualar. Estamos a perspectivar um jogo de exigência máxima em que temos de estar todos focados, dar o melhor para ultrapassar o adversário. Temos muita esperança em ganhar, mas o adversário vem para o mesmo, de certeza que não vem trabalhar para o ponto.”

Nome associado a clube da Championship: “A minha cabeça está totalmente direcionada para o jogo com o Rio Ave e tudo o que possa dizer só o vou fazer na segunda-feira, que é o meu dia livre e em que estou totalmente à vontade para abordar todas as questões que sejam fora do Vitória. Na minha vida sempre caminhei com a minha consciência, não caminho com aquilo que os outros pensam, ou não. O que os outros pensavam quando andava no distrital não me interessava, o que pensavam quando andava na 3.ª não me interessou para nada, aquilo que pensam os outros quando estou na 1.ª Liga não me interessa para nada. Só me interessa a minha consciência, o que faço no dia a dia. Dedico-me por completo ao meu trabalho e profissão.”

Comentário ao horário anunciado para o Boavista-Vitória da Taça de Portugal: Eu não acredito que o jogo Boavista-Vitória se faça a uma quarta-feira, às 3 da tarde. O bom senso tem de imperar. Não se podem colocar jogos da 2.ª Liga em horário nobre e depois um Boavista-Vitória às 3 da tarde. Quem pensou nisso poderá criticar-me porque eu posso não ter todos os dados. Os adeptos do Vitória enchem estádios, quem está bem no futebol português tem de ser respeitado. O Vitória está bem no futebol português, porque o representa da melhor forma forma através dos seus espaços de treino, dos espaços de jogo, número de assistências, tempo útil de jogo, tem de ser respeitado. Não acredito que seja feito às 3 da tarde. (n.d.r.: o treinador foi informado no final da conferência de imprensa que ainda há negociações em curso para o horário definitivo do jogo).

O episódio do treino ter sido filmado a partir do exterior: “Está fora do meu domínio, não consigo falar sobre cineastas. Acho que deve haver uma razão, tem de se ouvir a razão. Até pode ser uma razão muito lógica, pode ser alguém que goste muito da forma como treinamos e que esteja curioso e queira dados para analisar melhor a forma como treinamos. Se for por aí, até convido a pessoa a vir estagiar connosco e fazer uma semana, não é preciso filmar.”

Marcações: Vitória Sport Clube, Boavista, Rio Ave, Luís Castro, Taça de Portugal


Imprimir

Email