Já nasceu a Rede Intermunicipal das Bibliotecas do Algarve

A Comunidade Intermunicipal do Algarve (AMAL), a Universidade do Algarve e a Direção-Geral dos Livros, dos Arquivos e das Bibliotecas (DGLAB) assinaram esta sexta-feira, 7 de Dezembro, o acordo de cooperação para a criação da Rede Intermunicipal das Bibliotecas do Algarve (BIBAL).

O protocolo, assinado na Câmara Municipal de Olhão, refere que «a cooperação entre as diferentes entidades, tem como finalidade o desenvolvimento de serviços em rede, numa lógica de partilha e otimização de recursos, visando a oferta de serviços comuns para a Comunidade Intermunicipal e a prestação de um serviço público de qualidade».

Para Jorge Botelho, presidente da AMAL e da Câmara Municipal de Tavira, o acordo representa «um compromisso de todos, à escala regional, para que o Algarve possa ter uma rede de bibliotecas que se articula entre si, e não cada uma por si».

O protocolo garante, igualmente, a melhoria da diversidade e qualidade dos serviços «para as comunidades residentes e também para aqueles que passam férias» na região.

A rede, que vai integrar as bibliotecas municipais de 15 concelhos da região, bem como a biblioteca da Universidade do Algarve, prevê ainda dar continuidade a projetos de cooperação entre bibliotecas, contribuir para o processo de modernização administrativa, fomentar a criação de procedimentos comuns que conduzam à promoção da identidade regional, realizar projetos comuns e desenvolver atividades de formação e de promoção das literacias e de cidadania.

O município de Aljezur não tem neste momento biblioteca municipal, mas o objetivo é que venha a ter e que seja também integrada nesta rede.

Presente na assinatura do protocolo, Silvestre de Almeida Lacerda, diretor geral da DGLAB, considerou que «este pode ser um ponto de partida para um trabalho que se poderá realizar em favor da cultura e da literacia», servindo as bibliotecas enquanto locais que ajudam «a que os cidadãos criem um espírito crítico ainda mais acentuado».

Paulo Águas, reitor da Universidade do Algarve, relembrou o papel que as bibliotecas tiveram na sua própria formação e disse esperar que esta rede possa servir para «criar uma sociedade mais justa e até mais competitiva».

A estrutura coordenadora da BIBAL será assegurada por três bibliotecários, eleitos de dois em dois anos.