Bannon e Le Pen participam de encontro anti-imigração na Bélgica

Líder da direita francesa, Marine Le Pen (à direita), e o ex-estrategista da Casa Branca, Steve Bannon (à esquerda) durante um congresso partidário na região Norte da França, em Lille.

©
AP Photo /

O ex-estrategista Steve Bannon e a ex-candidata à presidência da França, Marine Le Pen, chegaram neste sábado (8) ao Parlamento belga, em Bruxelas, para participar de uma reunião contra o Pacto Global da ONU para a Migração.

A reunião foi organizada com o apoio do Europa das Nações e da Liberdade — um grupo político cétidco em relação à União Europeia que participa do Parlamento Europeu. No início da reunião, os anfitriões listaram as principais disposições do pacto, que deverá ser formalmente aprovado em uma conferência intergovernamental na cidade marroquina de Marrakech, já na próxima semana.

A alegação do anfitrião de que o pacto era “suicida” para a Europa foi recebida com aplausos. Representantes do partido de direita local, Vlaams Belang, também participaram da reunião, uma vez que se opõem firmemente à ideia de a Bélgica assinar o pacto.

No início da semana a situação política na Bélgica foi tensionada pelo maior partido da coalizão governista belga, Nova Aliança Flamenga. O partido ameaçou deixar a coalizão caso o primeiro-ministro belga, Charles Michel, assinasse o Pacto Global pela Migração da ONU.

O Pacto Global das Nações Unidas para a Migração, cujo texto foi finalizado em 13 de julho por todos os Estados membros da ONU, exceto os Estados Unidos, representa a tentativa da comunidade internacional de estabelecer uma abordagem global comum aos diversos aspectos da imigração internacional. O pacto compreende 23 objetivos para melhor gerenciar a migração em nível local, nacional, regional e global.

O pacto histórico causou polêmica em toda a Europa, pois alguns países acreditam que o acordo colocará restrições às suas políticas nacionais de migração.