Para Eduardo Bolsonaro, EUA devem ser prioridade nas relações comerciais brasileiras

Filho do presidente eleito Jair Bolsonaro e deputado federal mais votado nas eleições de 2018, Eduardo Bolsonaro está empenhado em fazer das relações dos Estados Unidos com o Brasil sua principal linha de ação na Câmara e no governo de seu pai.

Ele concedeu uma entrevista nesta semana ao jornal Valor Econômico e lá afirmou que sua grande meta é ampliar o comércio com os americanos. Na opinião de Eduardo, a China somente ultrapassou os Estados Unidos como maior parceiro comercial brasileiro por “razões ideológicas”. Ele ressalta, porém, que mesmo com a volta dos americanos ao topo, os asiáticos devem sem manter entre os maiores parceiros.

O deputado reeleito também disse que a política de boa vizinhança com o governo de Donald Trump tem tudo para ser a principal bandeira do novo governo. “Imagina só, você destravando esses obstáculos, o quanto que a gente não poderia gerar de emprego aqui, melhorar nossa infraestrutura, por exemplo, para escoar nossos produtos agrícolas”.

O pontapé inicial desse projeto aconteceu algumas semanas atrás, quando Eduardo viajou aos Estados Unidos com a missão de “vender” a equipe de Bolsonaro para os gringos. Ele disse ter ouvido queixas dos americanos sobre as dificuldades para investir no país e os alertou que a reforma da Previdência talvez não saia do papel.

De acordo com o deputado, os americanos estão curiosos para saber as transformações que o novo governo está fazendo no País. “Por vezes há uma carência de informação. Nem sempre a informação chega até lá ou, se chega, não chega fidedigna”, explicou.

Quer receber conteúdo de graça pelo Facebook Messenger? Cadastre-se aqui