"Quando comecei a escrever 'Guerra dos Tronos' não sabia que raio tinha"

Ao contrário do que se possa pensar, face aos número de livros que escreveu e à complexidade e dimensão do universo de Westeros, quando George R.R. Martin começou a criar as primeiras linhas de ‘A Guerra dos Tronos’, em 1991, julgou que se poderia estar apenas a escrever um conto.

“Quando comecei, não sabia o que raio tinha (…) Era apenas um capítulo, onde eles encontravam as crias de lobo gigante”, revela Martin em entrevista ao The Guardian. “Depois comecei a explorar estas famílias e o mundo começou a ganhar vida”. 

“Estava tudo na minha cabeça, não podia não o escrever. Por isso não foi uma decisão totalmente racional, mas os escritores não são criaturas totalmente racionais”, explicou o autor da saga que deu lugar a uma das séries de televisão de maior sucesso mundial. 

Aliás, é por saber da enorme popularidade da série que George R.R. Martin diz estar “consciente de que tem de fazer algo grandioso”. E essa é uma das razões pelas quais está a ter dificuldades em escrever o tão aguardado sexto livro da saga, ‘Winds of Winter’ (nas edições portuguesas cada livro original é dividido em dois, pelo que corresponderá ao 11º e 12º). 

“Estou a debater-me há anos. Não é só um livro, são vários, cada um com um protagonista diferente (…) É muito desafiante”, reconhece. 

A oitava e última temporada da série ‘A Guerra dos Tronos’ chega à televisão no primeiro semestre do próximo ano. 

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download
Google Play Download