Futebol: Portugal – País de Gales (declarações)

Francisco Neto (selecionador português): “Criámos mais oportunidades e fomos mais organizados, mas, independentemente de não termos estado tão bem como queríamos na primeira parte, foi também fruto da fadiga e do desgaste que conseguimos criar ao adversário que permitiu que elas quebrassem fisicamente e Portugal ficasse por cima do jogo.

A regularidade que fizemos nos últimos 20 minutos é o registo que queremos ter durante mais tempo. Podíamos ter feito o golo antes, mas acho que a vitória é inteiramente justa e estamos felizes por isso

Depois de termos jogado com as campeãs do mundo, com apenas um dia de recuperação, muitas alterações e um sistema tático diferente, em que jogámos quase o jogo todo em 3-5-2, serviu para perceber se este sistema pode ou não ser uma opção.

Fizemos algumas alterações. Mantivemos apenas três jogadoras [em relação ao jogo com os Estados Unidos]. Confiamos no grupo e é isso que temos transmitido às jogadoras. Queremos dar-lhes oportunidades e dar-lhes minutos em contexto internacional, porque estamos a preparar aquilo que será o apuramento para o Campeonato da Europa e quanto mais experiência elas forem acumulando mais importante é para nós. As jogadoras que foram entrando deram uma resposta positiva e deram-nos sinais importantes e isso faz com que o grupo no seu todo cresça.

Tem sido um ano de 2018 muito positivo. Queremos manter o registo dos últimos 20 minutos. Estamos num patamar de exigência máxima e estamos a defender as cores de Portugal. Esta seleção e estas jogadoras tem essa ambição. Queremos sempre ganhar e queremos jogar bem porque dessa forma é que conseguimos ganhar mais vezes. Queremos terminar o ano de 2018 com mais uma vitoria, sabendo sempre que será o terceiro jogo para nós neste estágio. Há muita fadiga, mas muita ambição para fazer coisas boas”.