“O jornalista é sempre visto como jornalista”

“O jornalista é sempre visto como jornalista”, diz José Manuel Rosendo, jornalista, na conferência ‘Jornalismo e Redes Sociais – Desafios no Presente, promovida pela Direcção Regional da Madeira do Sindicato dos Jornalistas, que se está a decorer no Museu de Imprensa, em Câmara de Lobos.

O jornalista disse que um profissional desta área não pode dizer mal de uma determinada pessoa nas redes sociais e depois entrevistá-la, pois corre o risco de essa mesma pessoa, no decorrer da entrevista, confrontar com o que foi dito no Facebook ou no Instagram. “Cuidado com o que se escreve nas redes sociais”, alertou.

Além disso, afirmou que as redes sociais não podem substituir a compra de jornais, por exemplo, e que os jornalistas devem evitar, quando vão em reportagem, publicar fotografias no Facebook ou no Instragram dos lugares por onde vão passando. No seu entender, deve haver essa salvaguarda.

José Manuel Rosendo disse ainda que os órgãos de informação não podem cair no erro de concorrer com as redes sociais, querendo colocar logo a notícia online, porque, no seu entender, o jornalista tem de cruzar informação, por exemplo, e escrever a notícia de uma forma criteriosa para também não perder credibilidade.

A iniciativa irá ainda contar com os oradores Brício Araújo, Advogado, e Samuel Mateus, professor universitário. Lourenço Freitas é o moderador.