Mortalidade das empresas cresce mais depressa que a natalidade

Economia

Até final de outubro foram criadas 37 777 novas empresas em Portugal, mais 3253 do que no período homólogo de 2017 (9,4%). Mas, a mortalidade está a crescer a um ritmo superior (25%). Como desapareceram 14 322 empresas, o saldo líquido ficou nas 23455.

Segundo o Barómetro da Informa D&B que revela estes números, o encerramento de empresas está em modo de aceleração desde abril. Na fundação de novas sociedades, a Informa D&B antecipa um recorde absoluto para 2018, com uma cifra da ordem das 45 mil.

A fileira do turismo é a que regista maior dinamismo. O setor cresce 17% face a 2017 e representa a grande maioria das novas empresas na área dos serviços (12 259).

Alojamento e restauração seguem-se com 4422. Atividades imobiliários (+21%), construção (+19%) e transportes (+57%) são exemplos de setores que beneficiam do turismo que estão igualmente em alta. A Informa D&B destaca o negócio do transporte ocasional de passageiros que duplicou o número de operadores desde o início de 2018.

Setúbal supera Lisboa e Porto

Até ao final de outubro, o distrito de Lisboa é o que regista maior número de nascimentos (13 143), seguindo-se o Porto, com 6 814.No conjunto, apresentam 52% do novo universo empresarial.

No entanto, é em Setúbal que se regista a maior taxa de crescimento, em 2018 – 19,5%. O distrito acolhe 2833 novas empresas. Porto e Lisboa surgem empatados com uma subida de 13%.

Encerramentos sempre a subir

O número de encerramentos está em modo de aceleração desde abril, subindo no acumulado dos 10 meses para 25%. A evolução é transversal a todas as fileiras e e distritos. Os setores dos Serviços (3235) e Retalho (2519) lideram a lista de desativações. Porto e Lisboa representam mais de metade da subida nos encerramentos.

Nas insolvências, a Informa D&B regista uma tendência de redução. Até outubro houve menos 277 processos (-10%) do que em 2017. A maioria das novas insolvências estão nos setores das Indústrias transformadoras, Retalho, Serviços e Construção.

A carregar…

a carregar…