Marcelo recusa Exército Europeu proposto por Macron


| Europa

Esta tarde, à chegada a Paris, para as comemorações dos 100 anos da assinatura da paz do fim da primeira Guerra Mundial, no consulado português, o chefe de Estado pronunciou-se sobre a ideia com Emmanuel Macron.

O Presidente francês defendeu a criação de um exército Europeu, que atue à margem da Nato, para combater situações humanitárias, o que levou, de resto, a um tweet furioso de Donald Trump ainda a caminho de Paris.


“Ficou claro no debate parlamentar (em Portugal) que não se trata de um exército europeu, trata-se, sim, de um reforço do empenho, e um empenho que é complementar daquele que é traduzido pela Aliança Atlântica dos europeus no cenário europeu e nos cenários vizinhos”, acrescentou. 

O parlamento aprovou, em dezembro do ano passado, três resoluções, do PS, PSD e CDS, a recomendar a adesão de Portugal à cooperação estruturada permanente de defesa e segurança (PESCO, na sigla original), formalizada por Bruxelas a 11 de dezembro de 2018, e explicitando a recusa de que este mecanismo evolua para a criação de um exército europeu.