Grupo nacionalista inundou escolas com cartazes contra “ideologia de género”

Escolas de norte a sul do país foram “invadidas” com cartazes contra a “ideologia de género”, num protesto do grupo Escudo Identitário. Este movimento de jovens que se definem como “patriotas” estará a ser vigiado pelas autoridades, numa altura em que a extrema-direita ganha terreno em Portugal.

Mais de mil cartazes colados em cerca de 300 escolas, de cidades como Lisboa, Porto e Faro, constituem uma manifestação de protesto do grupo Escudo Identitário, contra aquilo que este movimento de jovens nacionalistas define como o “perigo” da “ideologia de género”.

Sem definir claramente o que entende por este conceito, o grupo constata, em declarações ao Jornal de Notícias (JN), que “sexo e género são coisas diferentes e não relacionadas”, dando a entender que não faz “qualquer sentido” que a Lei Portuguesa reconheça o direito à autodeterminação da identidade de género e expressão de género.

Falando de “confusão de género”, o grupo usa o perfil do Facebook para criticar o que define como “uma verdadeira lavagem cerebral nos jovens Portugueses” que diz ser levada a cabo no Ensino, com a abordagem de temas como a igualdade de género, a interculturalidade e a sexualidade.

Assim explica esta acção de colar cartazes nas escolas, num acto que configura a prática de um crime, já que a colagem de cartazes em imóveis públicos é proibida (com excepção dos cartazes políticos e publicitários).

O Público repara que as autoridades estão a acompanhar as movimentações do Escudo Identitário, no âmbito de dados que apontam para o crescimento de movimentos de extrema-direita em Portugal, em 2017.

Porém, o grupo recusa ter quaisquer ligações com a filosofia ou movimentos de extrema-direita. “Não somos nem fascistas nem extremistas, somos jovens Portugueses a lutar pelos nossos ideais”, salienta ao JN.

“Estamos a combater o status quo, estamos a picar uma elite que se considerava soberana neste país e que julgava não ter oposição”, afirma ainda o grupo.

No perfil do Facebook, o Escudo Identitário define-se como um movimento de jovens “patriotas, apartidários“, que lutam “pelo bem-estar social, a soberania e identidade Portuguesa, e ainda pelos valores tradicionais Europeus”.

No canal do YouTube, o grupo partilha algumas das acções que vai realizando, nomeadamente uma manifestação em Lisboa, contra o que define como “a migração em massa”, e a celebração do 5 de Outubro em Guimarães, onde surgem vários jovens alinhados, em pose de exército, a beijarem a bandeira de Portugal e a cantarem o Hino Nacional.

SV, ZAP //